DESTAQUES DO DIA ESPORTES PANDEMIA

Mineiro que gastou R$ 27 mil para ver Olimpíadas de perto terá que assistir aos jogos no sofá de casa

A tão sonhada viagem a Tóquio, no Japão, para acompanhar mais de 20 competições dos Jogos Olímpicos de 2021 vai continuar apenas nos sonhos do comerciante mineiro Denílson Ribeiro de Santana, de 47 anos. Por causa da pandemia, os torcedores não poderão acompanhar as disputas nos estádios. Ele chegou a gastar R$ 27 mil para ver a Olimpíada de perto.

“Gastei quase R$ 30 mil nos 23 ingressos, passagens e hospedagem. Eu ia sozinho pra Tóquio, tudo pronto, mas aí, com a pandemia e a proibição de público nos estádios, minha ‘viagem’ vai ser pela TV mesmo, com meus cachorros e minha esposa, torcendo pelo Brasil”, conta ele.

Desde 24 de março de 2020, quando soube que a Olimpíada de Tóquio seria adiada para 2021 por causa do coronavírus, o comerciante já imaginava que a viagem para acompanhar os jogos estaria ameaçada.

No entanto, quase 1 ano depois, no dia 20 de março de 2021, Denílson foi informado que a Olimpíada não receberia público estrangeiro.

O comerciante vai ter o reembolso integral de todo o dinheiro gasto na compra dos ingressos. Até o momento, ele já recebeu metade do valor. Já a viagem foi remarcada para 2022.

Natural de Belo Horizonte e hoje morando no interior de Minas, Denílson disse que sempre foi um apaixonado pelas Olimpíadas, mas foi em 2016 que ele acompanhou, pela primeira vez, os jogos de perto.

“Uma sensação sem explicação acompanhar os Jogos Olímpicos de perto. No Rio foi inesquecível, uma baita de uma oportunidade, ver as seleções, o clima da cidade, todo mundo torcendo pelo Brasil, isso não tem preço. Foi lá que eu decidi que iria à sede de todas as próximas Olimpíadas“, diz.

Comerciante Denílson Ribeiro de Santana, de 47 anos, nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, em 2016. — Foto: Arquivo pessoal

Créditos: G1