CIDADE

Taxa de contágio em Maringá é de 1,4 e a taxa de isolamento está entre 40 a 50%

As informações são da Prefeitura de Maringá em resposta aos questionamentos da CBN Maringá. Confira:

CBN – Na sexta-feira (19), o prefeito garantiu que o estoque de medicamentos para entubação é suficiente para até 15 dias. Mas no fim de semana, fontes da CBN disseram que o HM tem medicamento suficiente até quarta-feira.

PMM – Temos estoque vinda do governo estadual e de compras emergencial o suficiente para atender toda a população, por cerca de 10 a 12 dias. Estamos em contato constante com fornecedores. Caso o Ministério da saúde revogue o “confisco” de medicamentos, temos condições de adquirir o produto com rapidez. Hoje, estamos em constante contato com a Secretaria de Saúde do Estado e com o Ministério da Saúde que nos garantem que não deixarão faltar medicamentos para o tratamento da Covid-19.

CBN – A Prefeitura está comprando 3 mil testes de Covid-19. Mas existem 21 mil suspeitos. Esses 3 mil testes são para quantos dias? A compra será renovada?

PMM – Os testes de RT PCR são para utilização a critério médico no atendimento de pacientes que procuram atendimento nas UPAS, e naqueles internados no HMM, com a necessidade de mais testes será ampliado a compra para testagem de acordo com a solicitação médica. Estes 3.000 testes são o primeiro lote. A Prefeitura de Maringá criou um mecanismo que permite comprar novos lotes conforme a necessidade. Estamos realizando os testes nos pacientes que procuram as unidades de saúde do município com suspeita da doença. O objetivo é, de forma mais rápida, descartar que o indivíduo está contaminado ou isolar os pacientes que tiverem a confirmação da doença. Temos previsão de comprar mais testes quando o atual estoque terminar

CBN – Especialistas dizem que é importante fazer campanhas educativas para ensinar a população a fazer o isolamento correto. Por exemplo: o que fazer com as roupas do isolado? A comida… enfim… A prefeitura pensa nesta estratégia?

PMM – Está estratégia já está sendo adotada com o patrulha pela vida, em parceria com a secretaria de comunicação. A pessoa contaminada que fica em quarentena deve se isolar dos demais moradores de uma casa, permanecendo em quarto bem ventilado. Deve evitar circular pela casa e as janelas e portas devem ficar a maior parte do tempo possível abertas. Se houver necessidade de o paciente circular pela casa, todos devem usar máscaras de proteção e lavar as mãos com álcool em gel. O distanciamento do doente é necessário. Não compartilhar toalhas ou objetos como talheres, pratos e outros. Superfícies que o paciente toca devem ser desinfetadas frequentemente.

As roupas devem ser lavadas separadas com água e sabão comum. Os objetos descartáveis do paciente devem ser acondicionados em saco de lixo específico. É importante que os pacientes que apresentarem piora no quadro devem procurar atendimento médico.

CBN – Especialistas apontam que seria inteligente concentrar os pacientes das unidades HM, Zona Sul e Zona Norte, no Hospital da Criança. Seria uma forma de otimizar recursos humanos. A prefeitura concorda?

PMM – Com a necessidade e capacidade do hospital da criança atender os pacientes, vamos abrir uma nova referência, se assim for preciso. Otimizar recursos é nossa prioridade, e estamos fazendo avaliação e auditoria constante neste sentido. A Prefeitura de Maringá encontrou uma forma que tem sido bastante eficiente em lidar com a crescente demanda de procura por atendimento médico-hospitalar. O Hospital Municipal teve inicialmente algumas de suas alas dedicadas ao atendimento da doença. À medida que a pandemia foi aumentando, todas as alas do hospital, com exceção do setor psiquiátrico, passaram a atender a doença. Na sequência, o município incorporou a este atendimento exclusivo, a UPA Zona Sul e a Policlínica Zona Sul. Assim, criou-se um complexo hospitalar para atendimento da Covid-19. No momento seguinte, quando estas unidades tiveram 100% de sua disponibilidade para o atendimento Covid ocupada, esse complexo foi expandido para a UPA Zona Norte. Paralelamente, a UBS Quebec foi transformada em UPA de forma que pudesse atender os pacientes não Covid. Esta estratégia permitiu que a cidade pudesse suprir a demanda por tratamento da doença, inclusive atendendo pacientes da 15a Regional de Saúde (30 municípios), apenas expandindo UTIs e Leitos. Essa política eficiente da Secretaria Municipal de Saúde fez com que se provesse o número de leitos necessários durante o aumento da demanda por Covid-19.

Em relação ao Hospital da Criança, a Prefeitura, com a Organização Mundial da Família, estão acelerando o processo de entrega da obra ao Município para que o espaço seja utilizado como apoio ao atendimento Covid. Isso implica em um compromisso especial entre as partes, já que a Organização se comprometeu em entregar a obra equipada e com pessoal contratado e treinado. Em virtude da situação de excepcionalidade da pandemia, a Prefeitura vai aceitar a entrega em partes como forma de usar o hospital como apoio ao complexo de saúde municipal utilizado no enfrentamento à pandemia.

CBN – Qual a taxa de isolamento social desde o dia 27 de fevereiro, quando começaram as medidas restritivas?

PMM- taxa de isolamento está em torno de 40 a 50% neste período acima mencionado.

CBN – Qual a taxa R ,de contágio?
PMM – Último R levantado estava em 1.4

CBN – A fiscalização está também coibindo lotação no transporte coletivo?
PMM – Sim, com protocolos educativos e de cuidados.

CBN- Existe alguma estimativa sobre a compra de vacinas por parte do município?
PMM- O município tem negociado com vários fornecedores individualmente e também via Federação Nacional de Prefeitos. A expectativa é de que a compra seja feita pela Federação, por meio do Consórcio Conectar, o Consórcio Nacional para Aquisição de Vacinas das Cidades Brasileiras.