Coluna Chico Santos DESTAQUES DO DIA

‘Inaceitável’, é o que diz a associação médica sobre fake news de Bolsonaro sobre vacinas e HIV

(Brasília - DF, 26/01/2021) Palavras do Presidente da República, Jair Bolsonaro. Foto: Marcos Corrêa/PR

A Associação Médica Brasileira (AMB) classificou como “inaceitável” a mais recente mentira de Jair Bolsonaro sobre as vacinas contra a Covid-19. Na fake news proferida em uma live na quinta-feira (21) no Facebook, o presidente associou a vacina contra o coronavírus ao risco de pegar Aids. “Já são, no mínimo, centenas as inverdades sobre o SARS-CoV-2 alardeadas no Brasil por autoridades cujo papel deveria ser resguardar e não expor a população a riscos.” Conforme relata a Associação Médica Brasileira.

Os senadores que integram a CPI da Covid defenderam nessa última segunda-feira (25) que a comissão envie ao Supremo Tribunal Federal (STF) um pedido de investigação sobre a declaração. A Sociedade Brasileira de Imunologia (SBI) também divulgou nota para reafirmar que “nenhuma vacina desenvolvida contra a Covid-19 pode causar Aids e que nenhuma vacina tem o potencial de transmitir o vírus do HIV.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), foi perguntado sobre o tema durante evento em São Paulo e adotou tom crítico na resposta. “Se ele não tiver nenhuma base científica, ele justamente vai pagar sobre isso”.

Para Carlos Lula, presidente do Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass), as afirmações de Bolsonaro durante a live são recrimináveis “Absurdo, imoral, patético, vergonhoso”, definiu Carlos Lula, presidente do Conass.O Facebook tirou do ar a live de Bolsonaro na qual ele compartilhou a mentira sobre a relação entre vacina contra a Covid e Aids.

O vídeo não está mais disponível nas contas do presidente no Facebook e também no Instagram, que pertence ao mesmo grupo. Com as informações de: g1.globo.com