Olá ! Sejam Bem Vindos | FONE: (44) 99948-9311
HomePoliciaEmpresário maringaense é morto com um tiro no Mato Grosso

Empresário maringaense é morto com um tiro no Mato Grosso

Empresário maringaense é morto com um tiro no Mato Grosso

Testemunhas afirmam que o empresário entrou em luta corporal com o assassino

 

Fotos: Plantão Maringá

O empresário Edmilson Martins de Lima, 37 anos, foi morto com um tiro, na noite deste sábado (23), na área central de Sinop. Edmilson foi atingido por um disparo de pistola 380, após brigar com o soldado Jhonatan Ulysses, 28 anos, da Polícia Militar.

O homicídio aconteceu no pátio de um estabelecimento comercial, a cerca de 100 metros da delegacia, nas proximidades da praça Plínio Callegaro. O soldado relatou que trafegava em uma GM S10, quando a vítima, que estava em uma Toyota Hilux SW4, “resvalou” em seu veículo. O militar disse que parou a caminhonete no pátio do estabelecimento, quando foi surpreendido por Edmilson, que estava “esbravejando e investindo contra sua pessoa”.

O PM contou ainda, conforme registrado em boletim de ocorrência, que foi agarrado e “esganado” por Edmilson, que, “de forma violenta”, tentava imobilizá-lo. Duas testemunhas também deram versões para o caso. Uma delas disse que presenciou “uma discussão verbal, que evoluiu para embate corporal mútuo”. Segundo esta pessoa, Edmilson segurava os braços do soldado, quando, houve o disparo de arma de fogo. Em seguida, a vítima caiu.

Já a outra testemunha disse que viu os dois homens em luta corporal e relatou que presenciou quando um deles agarrou nos braços do outro. O homem informou que, na sequência, ouviu um “estampido de arma de fogo” e enxergou um “sujeito” caído ao chão e uma aglomeração de pessoas no local.

Jhonatan, que tinha ferimentos nos joelhos, foi até a delegacia, onde prestou depoimento e foi liberado. A arma dele, com 11 munições, conforme consta no boletim de ocorrência, foi entregue espontaneamente e será periciada. Os carros da vítima e do policial foram levados para o pátio da Polícia Civil. (Só Notícias/Herbert de Souza)